quinta-feira, 18 de junho de 2009

Dédalo


Eu agradeço
por me teres tirado o chão.
Te agradeço
por só me teres dito não.

Foi tua constante prisão
que me deu, então,
o dom da construção.
(Longe de ti.)

--------------------

Thank you India

Thank you terror

Thank you disillusionment

Thank you frailty

Thank you consequence

Thank you thank you silence


The moment I let go of it was

The moment I got more than I could handle

The moment I jumped off of it was

The moment I touched down

(Alanis Morissette)



3 comentários:

adelaide amorim disse...

Dizem que tudo está bem quando acaba bem, e o poema é bem eloquente. Beijo!

Alexandre Amorim disse...

Pois é, meu amor. A necessidade cíclica do labirinto para a gente criar asas.
E ainda o aprendizado de aproveitar as asas criadas.

Van disse...

Me identifiquei muito. Adorei!

bjs